25/01/2023 às 15:24, Atualizado em 25/01/2023 às 15:38

PMA atende pedido da Prefeitura e realiza vistoria para parecer sobre animais silvestres no Parque Vacaria

Cb image default
Foto: Rafael Brites

As imagens compartilhadas nas redes sociais, da presença constante de uma sucuri no lago do Parque Ecológico Vale do Vacaria, inclusive se alimentando dos patos ou mesmo descansando na margem, além de outros animais silvestres, despertou a preocupação da Prefeitura de Sidrolândia, que por solicitação da gestora municipal, Vanda Camilo, solicitou a presença da Polícia Militar Ambiental (PMA) para vistoriar e dar um parecer, quanto aos possíveis riscos às pessoas que visitam o espaço para caminhadas e momentos de lazer.

Diante do pedido, a PMA enviou os sargentos Carlos e Juarez, que estiveram na manhã desta quarta-feira (25/01) no Parque Vacaria. Acompanharam-nos na vistoria, representando a Prefeitura, o diretor-presidente da Fundação Municipal de Cultura, Carlito da Silva Carmo, e a bióloga Leiva Além Brito, Chefe de Divisão de Políticas Ambientais na Secretaria Municipal de Desenvolvimento Rural (Sederma).

Cb image default
Foto: Rafael Brites

O sargento Carlos confirmou a preocupação da prefeita, e o convite da Administração Municipal para o apoio da PMA quanto às condições da área.

- A convite do Município, haja vista essa boa parceria, Município de Sidrolândia, Polícia Militar Ambiental e o nosso IMASUL, fomos convidados a fazer um estudo e um acompanhamento do progresso do Parque, orientar nos limites de uso e também no aparecimento de animais silvestres, entre eles réptil que foi avistado, uma sucuri filhote – disse o policial ambiental.

Alerta à população que frequenta o lago

Embora já tenham ocorrido flagrantes com capivaras e antas, a maior repercussão gira em torno do surgimento da sucuri no lago do Parque Vacaria. Para o sargento Carlos, o réptil está em seu habitat natural, e cabe ao ser humano respeitar o espaço, para que a convivência seja harmoniosa e sem riscos.

- O animal sucuri, a gente cria uma imagem nele, porque é um réptil, se rasteja, porque a bíblia condenou a cobra, a novela mostra que a cobra comia pessoas, o filme mostra que a cobra é uma caçadora. E muita coisa é lenda. O animal está coexistindo aqui, já estava antes, o animal tem um papel preponderante no meio ambiente, principalmente no Parque, onde tem trilhas, onde encontramos vários munícipes de chinelo, de tênis, então o animal sucuri faz a assepsia de outros répteis venenosos, mais danosos pra população, e ele não tem esse cunho de ataque a crianças. Ele tem a necessidade biológica de se alimentar, mas nós vimos que no Parque também tem aves aquáticas (patos), tem a comida silvestre em abundância para que ele não precise sair do limite do Parque para realizar esta busca por alimento. Para a população ter uma ideia, já estamos aqui há um tempo procurando ele, e é muito difícil de encontrar, porque ele se alimenta, pega um sol e se esconde no cantinho dele – explicou o representante da PMA.

Se a população respeitar os limites impostos pela gestão do Parque Vacaria em sua área de trilhas, alamedas, não haverá riscos, afirma o sargento Carlos.

- Se a população respeitar, não entrar no espaço deles, até porque ao entrar neste ambiente deles fora a trilha, que é pântano, aguapé, emaranhado, a pessoa está se colocando em risco, às vezes o risco menor é a sucuri, às vezes a outros riscos com inseto e outros animais, então a população pode ficar tranquila – ressaltou.

Cb image default
Foto: Rafael Brites

Elogios aos cuidados e estrutura do Parque

Os policiais ambientais gostaram do que viram em relação às instalações do Parque Vacaria durante a vistoria, e entendem que a Prefeitura está cumprindo com seu papel em gerir bem o espaço público.

- O Município tem que coexistir com o meio ambiente, e dentro do que visualizamos nesta visita, o Município tem todo este comprometimento com o meio ambiente, com a qualidade ambiental, preocupação com os animais. Nós encontramos o Parque muito zelado, para as pessoas tudo bem claro onde devem ir e o que devem fazer, vimos uma equipe realmente comprometida nos trazendo o acolhimento para que possamos auxiliar os senhores, e está de parabéns o Município – respondeu o sargento Carlos.

Crianças desacompanhadas e ataques contra os animais

Os policiais ambientais alertaram para que as crianças não estejam desacompanhadas no Parque Vacaria. A medida serve não somente para se prevenir de um ataque da sucuri, mas, principalmente, pelos riscos de se perder, se machucar, ou mesmo de se afogar. Para o sargento Carlos, a criança obrigatoriamente deve estar próxima dos pais ou responsáveis quando frequentarem o local, e reforça que isto é uma regra, não somente por conta da presença da sucuri.

Em relação aos ataques e agressões aos animais silvestres, o policial alerta que se trata de crime ambiental, com punição severa aos agressores, conforme a legislação vigente no País.

- Nós constatamos ninho de quero-quero, de coruja, a sucuri que vai ali na descarga d’água para se alimentar, tem os patos, arara, outros pássaros e animais. Eles precisam ser preservados – disse.

Postar imagens nas redes sociais com os animais silvestres, também deve ser motivo de precaução, porque a lei os protege. Então, ao tirar fotos, todo cuidado é necessário com a divulgação. Se houver interesse financeiro, incentivo à caça ou ataque aos bichos, ou criar um ambiente de beligerância entre o animal e a sociedade, é crime, alerta a Polícia Militar Ambiental.